SÉRIES | NOTÍCIA

Pacificador | Primeiras Impressões - Episódios do 1 ao 4

'Pacificador' aposta na mente de James Gunn e na entrega total de John Cena

Geraldo Campos 22 de jan. de 2022Atualizado em 22 de jan. de 2022

'Pacificador' chegou ao catálogo da HBO Max dia 13 de janeiro, e de lá para cá já estão disponíveis quatro dos oitos episódios. Dirigido e roteirizado por James Gunn, a história segue dos acontecimentos de "O Esquadrão Suicida", e vai explorar as consequências para a vida do quase morto Christopher Smith, o Pacificador, estrelado por John Cena.

Primeiras Impressões

Até o então momento, a série segue numa ascendência bem interessante de acompanhar. Seu episódio de número um, parece ser meio parado, e gasta um pouco de tempo com diálogos mornos e cenas de pouca ação. Mas tendo apresentado os membros que compõem essa equipe, a narrativa não perde muito tempo.

Os personagens coadjuvantes são bem legais, com destaque ao Vigilante que brilha no quarto episódio e Harcourt. John Cena está impressionantemente bem em seu papel, e conforme a trama avança, a química dos personagens vai se aprofundando.

A maioria das piadas são boas. Existem algumas que se desgastam um pouco e desviam o foco, mas essas não são constantes nem atrapalham o todo. Na verdade, Gunn aposta no ridículo (e isso fica claro pela abertura da série) para criar o contexto, clima e crítica de sua história. Críticas essas que discorrem sobre o patriotismo fanático, suprematistas brancos e a própria figura do "herói" que mata. As piadas estão repletas dessas questões.

Gunn transforma uma séria da DC em algo que parece ter vida própria, e independente de todo o resto do universo (por mais que siga os acontecimentos do filme do Esquadrão). Apesar disso, é resgatado muitos personagens de baixíssima popularidade da editora, que podem ser desconhecido até para os fãs das HQs.

Não é, entretanto, um entretenimento simplório, ele possui muitas camadas, bem como 'O Esquadrão Suicida'. Logo nos primeiros minutos do primeiro episódio isso é posto num diálogo que oscila entre o rir e o criticar.

É muito bom ver James Gunn trabalhando de pulso solto para contar a história que quer, com um elenco de muito potencial e aparentemente à vontade em seus papéis. Por mais que a série apresente alguns incômodos pontuais, se faz muito valer a pena acompanhar o desenrolar.

Expectativas

É diferente criar expectativas duma série como essa. Diferente das produções do MCU, em que as coisas tendem a serem mais contidas no sentido de liberdade criativa, em Pacificador qualquer coisa pode acontecer em qualquer momento.

Sem dúvidas isso é algo ótimo que instiga a curiosidade, e também um grande mérito da DC, principalmente por se tratar de um personagem pouco conhecido do público geral, mas que transborda carisma.

Muito provavelmente o maior embate da série são os dilemas morais do Pacificador, que a qualquer momento serão colocados à prova. Esse deverá de ser o ponto mais alto de toda produção, e revelará a evolução do personagem e, quem sabe, o transformará.